Bank of America cria patente para comercialização de criptomoedas

O Bank of America, um dos principais bancos americanos, está planejando criar serviços de comercialização de criptomoedas para seus clientes corporativos – ou pelo menos manter opções abertas se eles se interessarem.

 

 

Grande Potencial

Em uma patente concedida pelo US Patent and Trademark Office na terça-feira, o segundo maior banco dos EUA descreveu um potencial sistema de comercialização. Este sistema converteria uma moeda digital em outra. Além disso, seria automatizado, estabelecendo a taxa de câmbio entre as duas moedas.

 

 

A patente descreve um sistema de três partes: Uma conta do cliente e as outras duas contas que executam o sistema.

A segunda conta, denominada “conta flutuante”, atuaria como uma área de espera para a  criptomoeda que o cliente está vendendo, enquanto a terceira conta, também uma conta flutuante, conteria o valor equivalente da criptomoeda que o cliente está convertendo.

Essa terceira conta seria então para depositar os fundos convertidos de volta à conta do cliente original para retirada.

 

 

A patente observa que este serviço seria para clientes de nível empresarial. Isto significa que se o banco prosseguir com este projeto, seria oferecido a negócios.

De acordo com a patente: “As empresas podem lidar com um grande número de transações financeiras diariamente. À medida que a tecnologia avança, as transações financeiras envolvendo criptomoedas tornaram-se mais comuns.”

 

 

O sistema também pode avaliar transações para potenciais negócios ilícitos. Faz um cálculo de risco com base na quantia transferida. Qualquer outra informação disponível é considerada, de acordo com a patente.

As transações que parecem ilegais não poderão ser processadas, diz a patente.

 

Conclusão

O Bank of America tem pesquisado criptografia por anos. Foi arquivada outra patente em 2014 para criar um sistema de transferências com criptografia.

Esse sistema permitiria que os usuários transferissem fundos convertendo a moeda local do remetente, e convertendo-a na moeda do país de destino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *